UM ARTIGO EXALTANTE

Sou leitor do semanário EXPRESSO desde o primeiro número,  no tempo em o  presidente do conselho de ministros era o Sr. Marcelo Caetano e aquele dava voz a alguma oposição ao regime político de então. Ao longo dos anos continuei a ser leitor, embora desde que se formou o presente Governo do País e dado … Continuar a ler UM ARTIGO EXALTANTE

ELEGÂNCIA DE PRESIDENTE

  Falamos e escrevemos muitas vezes sobre Presidentes de diversos países por razões que se prendem com os seus desempenhos mais notáveis ou, também não poucas vezes, pelos disparates que dizem ou fazem. É agradável podermos falar também do nosso Presidente da República, principalmente quando pensamos que o seu desempenho é merecedor de elogio incontestável. … Continuar a ler ELEGÂNCIA DE PRESIDENTE

APOROFOBIA

Até há bem pouco tempo não conhecia esta palavra. Não era de admirar, a palavra não tem existido. Foi criada recentemente pela filósofa espanhola Adelia Cortina, catedrática de Ética na Universidade de Valência, Especialista em Filosofia Política e a primeira mulher a entrar na Real Academia de Ciências Morais e Políticas de Espanha, em 2008. … Continuar a ler APOROFOBIA

O OLIMPISMO E O DINHEIRO

  O praticante desportivo mais rico do planeta não é, como poderíamos pensar,  Floyd Mayweather, LeBron James, Leonel Messi, Cristiano Ronaldo ou Roger Federer. Não, nada disso. De acordo com as investigações realizadas por Andy Bull (Guardian) o mais rico é Michael Bambang Hartono, homem com 78 anos de idade vivendo na pequena cidade de … Continuar a ler O OLIMPISMO E O DINHEIRO

A JUSTIÇA É IGUAL PARA TODOS ?

Boa pergunta ! Num estado de direito democrático deveria ser Mas a resposta, em Portugal,  é um sim e um não. As leis, de facto, são iguais para todos, mas o acesso à justiça está  longe de o ser. Concretamente, quem tem dinheiro para escolher os advogados mais caros e mais conceituados, para pôr em … Continuar a ler A JUSTIÇA É IGUAL PARA TODOS ?

AS NOSSAS ETERNAS MIGRAÇÕES

Desde sempre que os portugueses tomaram em suas mãos os seus próprios destinos. A pequenez do país, a debilidade da sua população ao longo dos séculos, a escassez de meios de produção e subsistência, as atribulações dos chefes designados (monarcas ou presidentes), tudo isto criou nas populações a ambição ou, na maior parte das vezes, … Continuar a ler AS NOSSAS ETERNAS MIGRAÇÕES