Golfe, um amor tardio…!

Não sei se o desejo de praticar desporto, ocorre na maioria das pessoas, da mesma forma que eu sempre senti. Não só pelo prazer da vitória, que nem sempre foi o meu caso, mas que nos demonstrasse, até onde as nossas faculdades poderiam ir, ainda que alguns receios de incapacidade. nos pudesse criar pequenos amargos. … Continuar a ler Golfe, um amor tardio…!

Cartas da Minha Aldeia 2

Estatisticamente, muito da nossa vida, circunscreve-se dentro de um perímetro bastante reduzido, perdendo-se no labirinto das ideias. Mais do que muitas vezes pensamos. Talvez uma verdade de La Palice, quando nos vemos encerrados numa casa no campo, como aquela em que eu decidi viver por opção, há quase trinta anos. O enorme espaço, que geralmente … Continuar a ler Cartas da Minha Aldeia 2

Cartas da Minha Aldeia

Hoje, acordei com a ideia de que é Sábado, quando ainda vamos a meio de uma Terça-Feira calma, com o céu limpo de aviões, avolumando o silêncio a que já não estávamos habituados. E assim, atrapalhadamente, vou confundindo os dias, quase sempre iguais, tentando alterar as consequências de um confinamento, que parece começar a mostrar … Continuar a ler Cartas da Minha Aldeia

Férias Grandes

Era assim que chamávamos as férias de Verão, após os exames de fim de ano lectivo. O cansaço de uma época de preparativos, que nos levava ao desejo de passar de ano, com um " distinto ", que pouparia a um exame oral, sempre detestável, para quem não se sentisse inteiramente seguro dos seus conhecimentos...! … Continuar a ler Férias Grandes

Normandia, 6 de Junho

Não dei conta de se ter falado deste dia, nos nossos jornais. Talvez, mais preocupados com a pandemia que nos ameaça ainda todos os dias., Um 6 de Junho, cada vez mais distante, para quem não viveu nesses tempos, ainda que distante dessa grande tormenta que assolou toda a Europa, deixando-a de rastos, por penosos … Continuar a ler Normandia, 6 de Junho

Peter´s Café Sport

Pergunto-me a mim mesmo, como sendo nós um povo de marinheiros, não conseguimos ter mais velas brancas a navegar no Tejo, ou ao largo das praias ? Talvez, porque sempre gostei de velejar e ter tido a satisfação de aproveitar o vento inesgotável, dominando-o, num equilíbrio de forças que nos possam levar a destinos calculados, … Continuar a ler Peter´s Café Sport