O Preço das Medalhas

Li há dias no suplemento desportivo do jornal The Guardian uma notícia preocupante, em relação à qual se podem pôr algumas questões pertinentes.

Uma treinadora da Federação Britânica de Ginástica está a ser investigada pela Polícia Metropolitana relativamente aos escândalos envolvendo esta modalidade olímpica. As provas criminais começam a acumular-se e tudo leva a crer que surgirá uma acusação em tribunal a curto prazo.

As primeiras queixas surgiram quando da preparação de jovens ginastas femininas para os Jogos Olímpicos de Londres 2012. Os pais das jovens atletas enviaram e-mails denunciando os treinos humilhantes impostos às jovens. Davam exemplos de a treinadora empurrar as atletas, propositada e repetidamente, da barra, perturbando-as e levando-as, muitas vezes a pesadelos noturnos. Há relatos de uma jovem ter vomitado sangue durante um treino. Com uma pequena interrupção e sem assistência médica, o treino continuou.

A Federação parece ainda não ter retido a sua licença, embora não continue a trabalhar no clube onde tiveram lugar os incidentes. Cultura do medo que levou a Federação a proteger mais os treinadores que as jovens atletas. Os resultados seriam sempre mais importantes que o bem estar e a saúde das atletas. Consta no processo que uma jovem terá ficado fechada num armário por mais de uma hora, depois de ter cometido um erro durante um treino.

Os pais, na altura, tiveram receio de prosseguir com queixas judiciais porque sabiam que, dessa forma, iriam comprometer os apoios públicos para a participação nos Jogos. Presentemente a Polícia Metropolitana investiga através do seu Departamento de Abuso Infantil e Ofensas Sexuais.

Tudo isto porque era necessário ganhar medalhas. Como, aliás, se faz em muitos outros países do mundo, seguindo os mesmos processos de “tortura”.

Mas quantas medalhas ganhou a Grã Bretanha nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, na ginástica feminina? De acordo com os registos disponíveis, três de bronze e uma de prata. Valeu a pena? É isto o Olimpismo? Isto é Desporto? O Olimpismo acautela este tipo de comportamentos? E o Ideal Olímpico?

Esperemos que não sejam apenas a Polícia Metropolitana e os Tribunais de Londres a penalizarem estes comportamentos. O Comité Olímpico Internacional e as Federações Desportivas dos diversos países, de todas as modalidades, deviam antecipar-se e prevenir todas as formas de abusos e excessos que são utilizados com o alibi de ganhar mais medalhas. Parece que isso não corresponde à realidade.

3 pensamentos sobre “O Preço das Medalhas

  1. Volto a este lugar, apenas para corrigir uma imprecisão minha. Quando me referi ” a jogar Bowling no Café Londres ” Eu deveria referir-me apenas ao pequeno complexo ” Bowling “, composto de Café, Restaurante,e Snack Bar e uma acolhedora boite chamada ” Tropical “. Só mais tarde , veio a chamar-se Cinema Londres, instalado nas pistas de bowling. As minhas desculpas, pelo lapso…!

    Liked by 1 person

  2. Muito pouco poderei acrescentar ao que aqui foi escrito. O Desporto, no meu ponto de vista, se não for apenas por prazer lúdico, diga-se de passagem, também muito saudável, ele é sobretudo uma forma de desafio às suas próprias capacidades físicas, como qualquer amante de música, junta todas essas capacidades em favor da beleza e da sua realização. E é visível, nos Jogos Olímpicos, o esforço quase sobrehumano, para se conseguir uma medalha, mesmo que não seja de ouro. É o Ser Humano a desafiar-se a si próprio, como garantia de uma subida ao estrelato. Nada tenho a dizer sobre isso, a não ser que me impressiona…! Sempre apreciei o desporto, como uma actividade lúdica e disso não passei, embora, por algumas vezes me tivesse entusiasmado, principalmente na vela, por uma questão pessoal de saber aproveitar a bonomia do mar e o vento. Semanalmente.lá me encontrava em Belém e mais tarde em Paço d´Arcos com uma ou outra fugida a Cascais, Vila Moura ( era uma festa ), Lagos e Tavira. Era o bater das velas ao vento, e dos brandais, a chamarem-nos para o mar. E quem já fez vela, sabe o que isso é. O Ténis, que sempre me apaixonou pela exactidão sempre exigente do Serviço, que nunca consegui obter, e do nervosismo contínuo e sempre renascido de um Tie Break, nunca conseguiu substituir a vela e o mar. Já mais velho, e desejoso de iniciar os meus netos, e eu próprio, nesta modalidade, arranjei um professor cheio de paciência, para nos poder acompanhar. ” Mais.., trot tard…! Apenas fiquei a saber jogar, e a devolver a bola com a técnica devida, mas sem uma boa resposta física de mim próprio, concernente à situação ! Mas ainda sobre a curiosidade e o interesse, que o desporto desperta nas pessoas, pela sua beleza e pela cortesia , mas não menos esforçado, o Golf, um amor serôdio, tomou a dianteira de tudo o que para mim representava de desafio. Tempo perdido, aquele em que me enclausurava num ambiente de fumo, a jogar Bowling no Café Londres, entusiasmado, quando conseguia alguns Strike´s, seguidos de outros Spare´s ! Pura idiotice aquela…!

    Liked by 1 person

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s