IMPRESSÕES DUMA VIAGEM 3 . EM SÓFIA

 

 No que respeita à capital da Bulgária, Sófia ( cujo nome pronunciado pelos locais tem acento tónico em Só. mas que deriva de Santa Sofia com acento tónico no i ) só vou dizer algo sobre os dois temas acima inscritos. As belezas e monumentos da cidade estão muito bem descritos em sítios facilmente alcançáveis na internet.

A) FERNANDO PESSOA

Numa parede da Câmara Municipal de Sofia, R. Moskovska, 33 está colocado um painel metálico com a figura de Fernando Pessoa , tendo gravado em português e em búlgaro versos do seu poema “Tabacaria” ( ver foto 1 ) Tratou-se dum projecto denominado “Poesia Parede a Parede ( Wall to Wall Poetry ) destinado a mostrar ao povo búlgaro os valores europeus. Foi iniciado pela embaixada da Holanda na Bulgária e nele participaram os 27 membros da EU e a Turquia. Cada país escolheu a parede onde quis colocar o seu poeta dotando a cidade duma amostra da sua poesia

Fernando Pessoa em Sofia 1

 

B ) O MISTÉRIO DAS PEDRAS AMARELAS

 

As ruas da parte antiga da cidade de Sófia estão pavimentadas com paralelepípedos amarelos, o que representa uma herança cultural muito prezada pelos habitantes. O tipo de pavimentação foi decidido no início do século XX ao tempo em que era presidente da câmara Martin Teodov. A decisão foi tomada depois de muitas reuniões e discussões a parti de 3 hipóteses : asfalto, pedra ou cerâmica. Venceu a opção cerâmica e depois dum concurso foi a empreitada adjudicada a uma empresa fabricante de cerâmicas a IZIDA . As obras duraram de 1907 a 1908. A nossa guia búlgara não sabia ( ou não quis dizer) de que material eram feitos os blocos, dando a entender que eram duma rocha de região. Na incerteza fiz pesquisas na internet e acabei por descobrir que os blocos foram importados da Hungria onde foram fabricados a partir de calcário amarelo, moído a pó , enformado e cozido a 1300º C. A mina de calcário localiza-se nos arredores de Budapeste. Uma ideia muito divulgada de que os blocos foram um presente de casamento relativo ao enlace entre os príncipes Fernando e Maria Luísa no final do século XIX foi rebatida por documentação encontrada nos arquivos em 1960

Como disse, os habitantes prezam muito a sua calçada e não se pode retirar uma lasca que seja do pavimento

 

Um pensamento sobre “IMPRESSÕES DUMA VIAGEM 3 . EM SÓFIA

  1. Surpreendentes, estes dois assuntos…! Mais um testemunho do valor da nossa literatura e da forma como a cultura é tratada, num país de que se fala tão pouco. Também, a originalidade de um empedrado cerâmico, algo subtil, convidando a uma visita mais cuidada e mais preocupada, pelos valores que esta cidade encerra…!

    Liked by 1 person

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s