EM DEFESA DA MINHA DAMA, A ESGRIMA

RESUMO : A Esgrima é um dos desportos que podem ser praticados em todas as idades, por pessoas com ou sem deficiências, tendo reflexos positivos nas condições físicas  nos anos finais de vida  – e portanto merece ser apoiada

A evolução da Esgrima Desportiva ( ED ) em Portugal, desde os seus primórdios, nos finais do século XIX, até meados dos século XX, encontra-se bem descrita no livro do Cor. J.J. Valarinho             ( antigo  presidente da Federação Portuguesa de Esgrima ( FPE ) e também antigo praticante )  “Espadas e Floretes” ( 1993 ).

Durante este largo período, embora com escasso número de praticantes, a ED portuguesa alcançou vários sucessos no campo internacional, tendo o ponto mais alto sido a conquista da medalha de bronze pela equipa de espada nos Jogos Olímpicos de Amesterdão ( 1928 ).

De então para cá,  somente a partir de 1995 os atiradores portugueses voltaram a subir ao podium nas competições internacionais, tendo obtido numerosas medalhas e sendo os sucessos mais relevantes  a conquista do Campeonato da Europa de Florete em 2000 ( na Madeira ),  o 2º lugar obtido no Campeonato do Mundo de Espada em 2006  ( Joaquim Videira ) e 7 vitórias em provas das Taças do Mundo da categoria A da Federação Internacional de Esgrima ( João Gomes 5,  Joaquim Videira 1 e Max Rod 1 ) .                        ( Nos Relatórios e Contas da FPE pode ser lido o historial completa  das medalhas ganhas por portugueses .                                                                                                                                     De referir também que das várias competições internacionais que a FPE organizou até 2012 salientam-se  os  Campeonato do Mundo de Seniores de 1947 e 2002, em Lisboa e o acima mencionado Campeonato da Europa de Seniores de 2000

A ED tem sido apoiada pelos organismos oficiais de fomento e organização desportiva      ( presentemente pelo Instituto Português da Juventude e Desporto, IPDJ ) cujas verbas permitem à FPE a organização de competições nacionais, a preparação das selecções portuguesas e a sua ida às competições internacionais. Mas os clubes com Salas de Armas e os esgrimistas a título individual também contribuem para este esforço competitivo da ED, deslocando-se a expensas próprias às provas no estrangeiro que pensam ser úteis para manter o entusiasmo dos praticantes e possibilitar a melhoria do seu desempenho.

Actualmente existem à volta de 30 salas de armas em actividade,  ( com cerca de 1100 esgrimistas inscritos na FPE ) distribuídas pelos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Castelo Branco, Santarém. Lisboa, Setúbal e Faro e pelas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Quanto a equipamentos públicos, alem do material da FPE  ( pistas e equipamento eléctrico de sinalização e marcação dos toques ) o qual é deslocado para os locais de competição, alugados ou cedidos, , com os custos inerentes,  existem mais os seguintes, com muito pouca utilização :                                                                                                             – Sala de Esgrima do Pavilhão 3 do Estádio Universitário de Lisboa,  equipada para treinos e pequenas competições.                                                                                                         – Equipamento de treino e de competição destinado a equipar um projectado Centro de Alto Rendimento da Esgrima,  a instalar no edifício do Velódromo Nacional de Sangalhos , o qual nunca foi terminado.                                                                                                          (Em tempos não muito distantes a FPE teve uma sala de treinos no Complexo Desportivo da Lapa mas foi forçada a abandoná-la).                                                                                    Quanto a mestres de armas ou treinadores, alem dos que operam no território nacional existem mais seis, a trabalhar no estrangeiro :                                                                               -Um em Espanha                                                                                                                                     – Dois em França                                                                                                                                     -Um na Hungria                                                                                                                                   – – Um num país da Escandinávia                                                                                                          -Um num país da Península Arábica

Mas, na realidade, não é sobre esgrima de alta competição que desejo falar. O que acima foi dito não é mais do que o pano de fundo para o que vou dizer a seguir.

No entendimento que hoje se tem de que praticar desporto duma forma adequada desde a infância e ao longo de toda a vida é um contributo muito importante para, na idade avançada, se ter saúde, boa mobilidade e portanto independência funcional, a Esgrima é um dos desportos de eleição.

De facto a Esgrima pode começar a ser ensinada e praticada a partir dos 6-7 anos e continuar a ser praticada dum modo competitivo até a forma física o permitir. Os Campeonatos do Mundo de Veteranos têm 3 escalões etários, o últimos dos quais é para maiores de 70 anos, e os Campeonatos da Europa já contemplam um sub-escalão de 75 e mais anos                                                                                                                                                 E pode ser praticada por invisuais ou em cadeira de rodas, sendo factor de  inclusão social.                                                                                                                                                    Alem das vantagens que todos reconhecem na prática do Desporto, que não vou repetir, a Esgrima tem mais as seguintes:                                                                                                       –  Desenvolve a capacidade de concentração ( qualquer distracção dá a possibilidade de o adversário dar um toque ( o equivalente a meter um golo um golo )                                     – Desenvolve a inteligência – entendendo-se esta como a capacidade de enfrentar situações novas – pois o adversário pode mudar com frequência a sua maneira de jogar e é preciso fazer face às alterações                                                                                                       – Desenvolve a capacidade de analisar e planear com rapidez, pois para vencer um oponente, é necessário estudar celeremente  o seu jogo e escolher uma estratégia vencedora                                                                                                                                                 – Obriga ao controlo das próprias emoções, pois em competição as atitudes de azedume para com o árbitro ou o adversário são imediatamente punidas                                                 – Praticada no fim dum dia de trabalho, ajuda a desanuviar o espírito das coisas que correram menos bem e a regressar a casa com melhor disposição                                          -É um desporto seguro  sendo raros os acidentes pessoais nos treinos ou nas competições ( não há rasteiras nem caneladas )

Por estas vantagens que aqui deixo escritas ( e porventura haverá outras de que não me estou a lembrar ) A ESGRIMA PARA TODOS E EM TODAS AS IDADES é merecedora de bastantes mais apoios das entidades que têm obrigação de promover o desporto (*)      Não há Esgrima nos distritos de Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Évora ( já houve ), Portalegre e Beja.                                                                                                                                     Mas temos  6 treinadores a trabalhar no estrangeiro, não sei se satisfeitos se tristes por estarem emigrados.                                                                                                                                Talvez estes treinadores, devidamente abordados, estivessem disponíveis para regressar a Portugal e iniciar a Esgrima nos distritos onde ela não existe.   (Apesar de tudo, é mais fácil ir visitar parentes e amigos a partir de Bragança do que da Arábia ou da Escandinávia ). Aqui  lembro que existe um plano governamental para promover o regresso dos emigrantes portugueses ao país natal.                                                                      A criação de Centros de Esgrima em cidades de distritos onde aquela não existe, dirigidos por profissionais com provas dadas de competência e amor à Esgrima, seria mais um pequeno contributo para o desenvolvimento do interior e para a melhoria da vida saudável dos portugueses. E aumentaria a possibilidade de descoberta de talentos que poderiam vir a engrossar a hoste da alta competição.                                                           Uma nota final : Na Esgrima, os meios existentes são insuficientes para o que se deseja fazer e mesmo assim damo-nos ao luxo de  utilizar muito pouco alguns ! É uma situação que deveria ser revertida.

( * ) Não estou a reclamar mais dinheiro para a Esgrima à custa de aumento de despesa do Orçamento de Estado!                                                                                                                     ( Ao pertenço ao coro dos que pensam que a dívida pública pode ser aumentada, sempre, e que não necessita de ser paga ).                                                                                  Estou simplesmente a tentar chamar a atenção para  que a distribuição das verbas já decididas para o desporto, a inclusão social, a luta pelo envelhecimento saudável, o regresso de emigrantes tenha em conta os benefícios que a prática da Esgrima pode proporcionar.

Lisboa, 20 de Dezembro de 2019

F. Fonseca Santos                                                                                                                                    ( Esgrimista filiado nº 75 na FPE )

 

 

3 pensamentos sobre “EM DEFESA DA MINHA DAMA, A ESGRIMA

  1. Pela curta conversa que tivemos sobre esgrima, aquando da nossa última reunião, fiquei a saber algo mais da situação deste nobre desporto no nosso país, do quase nulo, que sabia antes. Contudo, o ritual e o aprumo aplicado na esgrima, além dos movimentos de destreza, tornam este desporto bastante atractivo. Uma modalidade, que poderia muito bem, iniciar jovens, em alguns ginásios de todo o país, como muito bem disse na sua crónica…!

    Gostar

  2. Amigo Fonseca Santos . Li o teu artigo , e preparo- me para para fazer um comentário o melhor que seja capaz ! Para já , é só para te dizer que com a leitura que acabo de fazer ,recebi a melhor lição de esgrima de toda a minha vida como esgrimista ! Até breve e um grande abraço do amigo Corvo !

    Gostar

Deixe uma Resposta para Eduardo Corvo Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s