O TRUQUE DAS CAMISOLAS

 

Sou cliente habitual das conferências de imprensa diárias do Ministério da Saúde e também dos comentários diários no noticiário da RTP1 do infecciologista Dr. António Silva Graça que, com a sua excelente voz de barítono, nos convence da verdade de tudo o que diz. E daí para a frente, mais nada, acabou-se. Para mim são todos “papagaios” que falam muito do que nada sabem.

Mas o que me tem verdadeiramente seduzido nas aparições diárias do doutor, para além dos acertados comentários que faz, são as camisolas que veste. Todos os dias usa uma camisola diferente. Camisa, gravata  e… camisola. As camisolas são bonitas, elegantes, de cores e modelos diferentes e, na realidade, compõem uma excelente maneira de aparecer, de forma descontraída, num noticiário televisivo, sempre a atirar para o “muito arrumadinho”. Eu acho que o hábito do doutor é muito parecido com o meu, por coincidência, claro. Nestes tempos de confinamento pareceu-me saudável mudar de visual todos os dias, para ver no espelho uma imagem renovada. O Dr. Silva Graça faz o mesmo na televisão e eu acho uma belíssima ideia. Ele usa sempre a mesma correção e sobriedade nos seus comentários mas, pela minha parte, não deixo de apreciar a camisola do dia. Umas com gola, outras sem gola, cores variadas, parecem-me de boas marcas e marcando a sobriedade que as condições recomendam.

Eu, como já disse, faço o mesmo.  Mas como cá em casa somos só dois, a visibilidade não é tão flagrante. Tenho para ali bastantes camisolas,  embora já tenha deixado de as comprar há alguns anos. Não é preciso. Há muito tempo que os meus familiares mais próximos (não tão poucos como isso…) aproveitam os meus anos (que ainda tenho feito uma vez por ano, claro) e as datas festivas para me darem o quê?  Uma camisola, claro! E eu gosto. Tenho-as de todas as cores e feitios. Gavetas é que já vão sendo poucas para as guardar… Mas, enfim, é bom sinal enquanto eles tiverem motivos para as ir oferecendo. E eu mudo todos os dias, como o doutor da televisão. Com camisola nova renasce-se, confrontamo-nos com o vírus com outra alegria e diferente disposição. É isso que o Dr. Silva Graça faz também, todos os dias. Com esse truque tão simples ele renova a sua imagem com enorme mestria. Às vezes as nossas camisolas, as dele e as minhas, têm fecho “éclair”, coisa que luxos antigos não permitiam. Basta lermos parte de um pequeno poema de António Gedeão para o percebermos:

POEMA DO FECHO ÉCLAIR

Filipe II tinha um colar de oiro,

tinha um colar de oiro com pedras rubis.

Cingia a cintura com cinto de couro,

com fivela de oiro,

olho de perdiz.

Comia num prato de prata lavrada

girafa trufada, rissóis de serpente.

Foi dono da Terra, foi senhor do Mundo,

Nada lhe faltava, Filipe Segundo.

Um homem tão grande

Tem tudo o que quer.

O que ele ele não tinha

era um fecho éclair.

Zipper

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3 pensamentos sobre “O TRUQUE DAS CAMISOLAS

  1. Também aprecio as camisolas ( e as palavras, claro ) do Dr.Silva Graça. Mas não posso deixar de pensar que, para trajar daquela maneira e com elegância, é preciso que a dilatação do estômago o permita !

    Liked by 1 person

  2. Engraçado, como este assunto de camisolas, deu para tanta leitura interessante…! E, normalmente, são tantas as camisolas, penso eu, que não há gaveta que aguente. Camisolas em xadrez, muito Scotish, como dantes se usava, com as calças à golfe. Ou às riscas, ou ainda de cores lisas, a condizer com o fatinho novo, de ir visitar a madrinha.. E de tanta camisola, ainda havia aquelas esquecidas, à mercê da gula da traça traiçoeira, sem a protecção da naftalina, porque emprestava um cheiro antipático, e lá no grupo, afastava as raparigas que faziam troça. E as que mais gostávamos de usar até se gastar nos cotovelos ? E eram, as que em ultimo recurso, mandávamos por umas cotoveleiras, porque isto de mudar de camisola, tem muito, que se lhe diga…! Por curiosidade, hoje, foi o primeiro dia do ano, em que ando sem camisola…! Está um calor, piramidal…!

    Liked by 1 person

  3. Eu tenho uma camisola com esse ( não, este ! ) tal fecho.
    No Natal proibi todos os familiares ( somando filhas, netos,e agora já o 3º bisneto dá 20 ) de me darem camisolas. Com as que tenho já dá para fazer mudança diária como tu e o clínico…
    Abraço do leitor

    Liked by 1 person

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s