Planos adiados, Sine die

Faço uma retrospectiva aos muitos anos de viagens e deixo-me levar pelos ventos menos cálidos das terras do Norte. Tantas viagens, por vezes planeadas por um mapa de estrada, que o ACP nos fornece desde há longos anos, já gasto de tantas dobragens e consultas. Outras viagens, feitas sem preparação, à aventura, como a desafiar a sorte de encontrar um lugar num hotel, ainda que escondido, no meio de um casario serrano.

E o gosto de redescobrir este Portugal, onde a recepção quase familiar, sorridente, de amizade imediata, tão característica do nosso povo, leva-me a pensar, como é bom, andar cá por dentro e apreciar o que se perde, quando nos ausentamos, sem conhecer este país mais em pormenor. E são tantos os lugares, lembrados dos romances de Eça de Queiroz, de Miguel Torga, José Régio, ou ainda da simplicidade rural, dos romances de Júlio Diniz…!

E este desejo de escrever sobre este tema, vem de uma viagem planeada, com amigos, que se arrasta desde o ano passado, e que fervilha nas nossas mentes, acelerando o desejo de todo este imbróglio em que estamos metidos, acabar, ou muito simplesmente nos permitir viajar com segurança, tendo por tema, algumas das antigas Pousadas e os Museus. E a Pateira, ou a Pousada da Ria, situar-se-iam no trajecto do Museu do Mar, em Ílhavo. E ainda noutro plano, a Estalagem da Caniçada e a Casa Museu de Tormes. O ambiente verde que se respira, junto ao Douro e a boa mesa nortenha. E é tão interessante, o convite da Fundação Eça de Queiroz ( https://feq.pt ), “O Caminho de Jacinto , a partir da Estação de Aregos, com uma citação adaptada da obra A cidade e as Serras…!

É sempre um grande rombo nas economias, acelerando o passeio que bem gostaríamos de ser lento e refastelado. E tanto que este nosso país tem para oferecer, cedendo aos outros, aquilo que sempre tivemos de mão cheia e nem sempre possamos gozar.

E quando se fala de Portugal, fala-se das grandes cidades ou de praias, esquecendo-se de uma indústria ligada à saúde: As Termas…! Talvez não tantas, como os areais convidativos e tão ansiados no início das férias de Verão. Sem o mesmo colorido emprestados pelo mar e dos reflexos de Sol , elas estão lá, num ambiente diferente, também sempre prontas, para uma reposição de energias …!

Fundação Eça de Queiroz
Local: Santa Cruz do Douro, Baião



Um pensamento sobre “Planos adiados, Sine die

  1. Partilho inteiramente esse prazer de viajar pelo interior de Portugal. Tenho em mente uma viagem para completar a parte da Rota do Românico que já fiz, mas não sei quando poderei concretizá-la

    Liked by 1 person

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s