Um diálogo impossível

Desde muito cedo, comecei a verificar a paixão que as pessoas têm pelos automóveis. Quer se necessite dele ou não, eis que muitos de nós, sacrificámos muitas idas ao cinema para o poder manter limpo e brilhante. Talvez até outros sacrifícios mais penosos, como o de de alterar um passeio há muito programado, para o levar à oficina de confiança. Inexoravelmente, isso, também aconteceu comigo, no começo de vida, pois esta paixão, já se perde nos tempos…!

Há bem poucos dias, tive uma experiência que me marcou bastante. O ter que enviar o meu  velhote  Xantia, para as mandíbulas do sucateiro…! Digo-lhes, que foi uma experiência algo frustrante, pesarosa e revoltante…! A última vez que peguei naquele volante, foi numa tentativa de o controlar, após uma glissage inesperada, por excesso de óleo derramado na estrada, agravado por um dia inteiro de chuvisco pegajoso. 

O destino, estava marcado! Um último olhar para o carro, de despedida,  com um nó na garganta, a querer dificultar-me a situação. Imaginariamente, senti que um diálogo se estava a preparar entre mim e aquele que foi uma das minhas maiores paixões de quatro rodas…! Um diálogo impossível. Apenas as recordações de muitas viagens e de bons momentos, que uma máquina, tornando-se nossa companheira de muitos anos, pelo hábito e pela aproximação constante, nos poderia fazer imaginá-la, como qualquer coisa imprescindível, de nós próprios…!

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s