A Nossa 12ª Conversa/Entrevista – Carla Caramujo

À CONVERSA COM… Carla Caramujo

Olá! Cá estamos de novo, os “Velhos São Os Trapos”, para realizarmos a nossa 12ª conversa/entrevista mensal, utilizando desta vez as instalações e a maravilhosa panorâmica de um dos mais antigos clubes desportivos de Portugal: o CIF – Clube Internacional de Football. Foi oficialmente fundado em 1902, embora desde 1897 já existisse ainda sem o figurino atual. Foi o CIF que introduziu o futebol em Portugal, imagine-se (!) , modalidade que ainda hoje é praticada no clube sempre em termos amadores. Reune já muitas outras modalidades a começar pelo ténis, o padel, modalidades de pavilhão e ginásio. Uma grande palavra de agradecimento ao CIF por nos dar esta rica oportunidade, clube com o qual mantenho, pessoalmente, longos laços de participação e amizade. E faz sentido juntar a ética desportiva representada por este clube e a ética cultural e artística que se encontra ligada à nossa convidada de hoje.

Mas a nossa missão é particularmente difícil, pelo facto de ser um impreparado apreciador de música clássica a falar com uma das mais notáveis intérpretes portuguesas da sua arte: Carla Caramujo, cantora lírica. Só ela, no diálogo que vamos travar, poderá simplificar e tornar mais fácil esta aventura a que nos atrevemos.

Carla Caramujo formou-se em canto na Guildhall School of Music and Drama, em Londres, fazendo posteriormente o mestrado no Conservatório Real da Escócia. Muito abreviadamente, estreou-se há cerca de 16 anos em Inglaterra, na “Flauta Mágica” de Mozart e a seguir, em Portugal, no Teatro de S. Carlos, no papel de Gilda do “Rigoletto”.

Tem já um longo e notável percurso artístico em quase todo o mundo e já foi alvo de muitas entrevistas feitas por especialistas e críticos de muitas das suas áreas de eleição. Das minhas recordações pessoais retenho apenas (e digo-o após confirmação) a sua intervenção no Festival ao Largo de 2018, em Lisboa, cantando “Carmina Burana”.

Esta conversa insere-se naturalmente no âmbito mais alargado da Cultura, para o qual tantas vezes temos chamado a atenção dos nossos leitores e amigos. A Cultura e a disciplina específica do canto e da Ópera são temas muito caros a Carla Caramujo, temas sobre os quais tem ideias bem claras e pelas quais se tem batido e continua a bater no seu quotidiano profissional. É por aqui, pela Cultura, que tudo começa. Vamos falar com Carla Caramujo.

NOTA 1 – No passado dia 6/11 Carla Caramujo desempenhou na Gulbenkian, com grande sucesso, o papel de Mariana Alcoforado da obra “Cartas Portuguesas”

NOTA 2 – Como habitualmente, a realização, edição e montagem deste vídeo são da autoria da Cristina Marques da Silva. Que seria de nós sem ela?

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s