Chuva brilhante

De constelação em constelação, os olhos erguem-se a um mundo de céu aberto. Numa calma pensante. Numa chama gritante. Num sorriso que não mente neste frio que arrepia de repente. Não há sol. Apenas uma imensidão de Terra virada para o mar. Chuva brilhante onde te procuro. Quantas gotas precisam chover para que saibas que … Continuar a ler Chuva brilhante