DIA MUNDIAL DA LÍNGUA PORTUGUESA

Seria quase crime de “lesa patria” não fazer hoje um modesto apontamento sobre o Dia Mundial da Língua Portuguesa. Toda a gente importante já escreveu sobre este tema e, portanto, não vou acrescentar nada de novo. Mas cumpro uma missão pessoal quando me lembrei do Fernando Pessoa ao dizer “A minha Pátria é a Língua Portuguesa”. Não é, realmente, fácil um país tão pequeno como o nosso ter uma língua falada por quase 260 milhões de pessoas e ser a 4ª língua mais falada em todo o mundo. Foi obra, realmente!… Um amigo meu enviou-me há algum tempo um curioso artigo sobre as 7 tribos existentes no mundo que,  embora algumas delas reduzidíssimas, continuam a falar e a aprender o português e a cantar em português. Apenas como apontamento são os casos dos pequenos agregados de Lamno, na Indonésia (os famosos criolos de olhos azuis); os Bayingyis da Birmânia (agora Mianamar); os Ziguinchor do Senegal; os Kritang de Malaca (talvez dos mais expressivos da diáspora); os Burghers do Sri Lanka (oriundos dos cingaleses e portugueses de Ceilão); os Korlai da Índia (para além de todas as populações de Goa, Damão e Diu onde ainda se fala e aprende português); e os Tugu da Indonésia. Para aprofundarem este tema basta ir, claro, à internet.

O Instituto Camões parece ter vindo a fazer um trabalho de divulgação da língua muito importante porque o segredo tem sido, segundo as palavras do seu atual Presidente, “abrir a língua e deixá-la voar pelo mundo adquirindo as suas especifidades próprias. Tentar normalizá-la ou regulá-la seria um erro fatal para a sua expansão.”  Pareceu-me perceber, nas suas declarações, alguma crítica velada ao famigerado acordo ortográfico que ainda não recebeu nem batismo nem crisma de muitos países a quem parecia dirigir-se… E há, entre nós, muito boa gente que não o segue.

Mas, sem querer reviver o passado, já hoje não se comete o erro de pretender ocultar os enormes feitos dos Descobrimentos portugueses e todos os efeitos que eles produziram, nomeadamente o da língua. Não terá sido uma expansão primariamente cultural, como sabemos, mas é inegável que, ao longo dos séculos e passados os efeitos das muitas cicatrizes resultantes dessa expansão, a verdade é que, quem teve a oportunidade de passar ou viajar por pedaços de mundo onde se diz que se fala português, descobre que isso é verdade. Falam connosco em português, mais ou menos deturpado mas sempre em português nos entendem e os entendemos.  E em muitos sítios há escolas onde se aprende português. Falo por experiência vivida. Talvez ainda seja pouco mas, segundo os entendidos, no fim do século já haverá cerca de 500 milhões de falantes de português em todo o mundo. Não assistirei mas gostava que fosse verdade.

Neste Dia tão importante procurei escolher um protagonista da Língua para nos lembrarmos dele e o revisitarmos. E como se trata de uma missão difícil, quase impossível, resolvi trazer aqui, por escolha pessoal, um nome recente, embora já falecido, que tanto prazer tem dado a muitos de nós e, talvez, ainda não o conheçamos com a profundidade que merece: Rómulo de Carvalho ou António Gedeão, como queiram. Para além de poeta, escritor,  cientista e divulgador de Ciência foi professor liceal de muita gente e um dos seus alunos, o Prof. Mariano Gago, enquanto Ministro da Ciência, decretou, em 1996, o dia do nascimento de Rómulo de Carvalho, 24 de Novembro, como Dia Nacional da Cultura. Aqui vos deixo a minha escolha para recordação deste Dia Mundial.

E para dar seguimento ao que já anteriormente iniciei, tentarei, o mais breve possível fazer aqui a minha 2ª Conversa Imaginária com António Gedeão (a primeira foi com o Almirante Pinheiro de Azevedo, como talvez se lembrarão).

Bom Dia Mundial da Língua Portuguesa e vamos continuar a aperfeiçoar o nosso Português. Lendo e escrevendo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um pensamento sobre “DIA MUNDIAL DA LÍNGUA PORTUGUESA

  1. Comovo-me, porque não dizê-lo, quando penso na grandeza da alma lusa, espalhada por todos os cantos do mundo. E este texto, disse tudo o que a minha imaginação não conseguiria dizer, apesar de tanta vez ter visto a bandeira a flutuar nos céus, onde hoje se ama e se fala em português…!

    Liked by 1 person

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s