OLHAR O MAR

Há um poeta que diz:
Moro numa rua
Donde se vê o mar ao fundo.
Haverá, por este mundo,
Casas como aquela
Ruas como aquela
Com o mar ali
A espreitar…
E isso é bom?
É bom.
Olha-se não se sabe para onde
Mas recebe-se a mensagem
Permanente
Dos sonhos, dos dramas,
Dos que por ali andam, com coragem.
Dos horizontes que não vemos
Mas em que pensamos.
São ruas com saídas
Para o infinito
Ao encontro de muita gente
Também permanente
Que só a dor alcança.
Ali, na nossa rua
Tão curta de espaço
Tão grande de esperança.

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s